Vovô  coruja  paulista

Trovas e acrósticos

Textos

     NYLZA
 
Eu conheço um intolerante,
Que não usou o coração;
Foi muito ignorante,
Não se portou como irmão.
 
De sábado para domingo,
Fui o seu acompanhante;
O que de passou comigo
É que fui um brutamonte.
 
Não entendi seu delírio,
Querendo que raciocinasse;
O que foi nosso martírio,
Na cobrança de mais classe.
 
Eu cobrei mais que devia,
Chamando-lhe de teimosa;
Mas não era teimosia,
Era só mão buliçosa.
 
Tantos dias no hospital,
Bagunçou sua cabeça;
E este idiota e boçal,
Quer que você obedeça.
 
Me desculpe minha mana,
Tamanha mediocridade;
Teimoso fui eu com gana,
Não percebendo a verdade.
 
Sei que fui o seu algoz,
Com meu orgulho imbecil;
Não ouvirá de minha voz,
Mais uma ofensa tão vil.
 
Não mais precisa aprender,
Suas MIL mãos segurar;
Eu que tenho que entender,
Que está doente, até sarar.
 
             PERDÃO!!!
 
Gilberto Eduardo Torres e DEUS
Enviado por Gilberto Eduardo Torres em 29/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras